Quem morre de uma doença para qual já existe vacina, não "morre": é ASSASSINADO. Nesta situação, se foram Paulo Gustavo e mais 2.966 brasileiros SÓ HOJE. Os assassinos têm nome, sobrenome, elegeram e foram eleitos. Em respeito às memórias dos que se vão, não esqueçamos disso.

14
526
2K
Replies